Consciência Negra 2011

Enfrentamento ao Racismo Institucional


Home
Produção Cultura Negra
Legado
Projeto Quintino
Parceiros
Universidades e Guias
Blog do Luiz Otávio


O prefeito de Santos, João Paulo Tavares Papa, reconhece que a região concentra grandes desigualdades sociais, que geram exclusão e alimentam o crime, considerando que a violência causa preocupação porque um dos principais valores do santista é a qualidade de vida.

Declara também que Santos atravessa excelente desenvolvimento, conclui que a melhor ferramenta para conter a criminalidade é oferecer escola de qualidade em tempo integral, como esta fazendo na Cidade.

O fato que também prejudica a população é que a dedicação do prefeito no desenvolvimento da cidade que possui o Conselho Municipal de Participação e Desenvolvimento da Comunidade Negra que completou vinte e cinco anos, continua sendo usando para servir privilegiados que negam atender a demanda, aos que buscam fazer valer a democracia e o regime democrático, para se manterem os privilegiados estão resistindo usando como meio a pratica da violência, outra violência que o Governo Papa pratica é que em relação a Comunidade dos Sambista o Conselho Oficial do Samba, nunca funcionou chegando  a lamentável situação dos Cidadãos Samba oficializados pelo município, serem humilhados de sua dignidade e honra no desfile do Carnaval de 2010.

O apoio a violência do Governo João Paulo Tavares Papa, aparece ao impedir o direito da Comunidade Negra de ir e vir através do abuso do poder ao praticar o esbulho do Direito PÚBLICO e PRIVADO, da Comunidade Negra de Santos com o propósito de sobrepor afirmação de autonomia da Associação de Defesa da Comunidade Negra e Sambista ADICLUSA condições de segmento da sociedade civil e prejudicar o desenvolvimento do Projeto Quintino de Lacerda.

O abuso do poder aconteceu ao reorganizar o Conselho Municipal de Participação e Desenvolvimento da Comunidade Negra, que atualmente tem como presidente Ubirajara Hilário Chagas, impondo na Lei Municipal Nº 2.427/06 que o Executivo Municipal de Santos, receba a assessoria do Órgão.

Com o poder absoluto para restringir a liberdade de ação da Comunidade Negra, criou a Secretaria Municipal de Defesa da Cidadania, e aliou seu governo com o Partido Popular Social PPS, presidente Maria Alice Antunes Affoso, Vereadores Braz Antunes e Del Bosco Amaral, que indicou como secretário de defesa da cidadania Paulo Affonso Galati Murat Filho o qual para cumprir o impedimento não esta cumprindo o compromisso do atendimento da demanda.

Ainda como estivesse apoiando as iniciativas da Comunidade Negra nomeou para atuar no Copire Coordenadoria de Promoção da Igualdade Racial e Étnica, Walter Pereira de Carvalho, que com parceria com a OAB Ordem dos Advogados do Brasil - Seção Santos, por meio da Comissão do Negro e Assuntos Antidiscriminatório, Coordenadora a Advogada Tatiana Evangelista dos Santos, vem privilegiando seu pai advogado Ivo Miguel Evangelista dos Santos, e sua tia funcionária pública Diná Evangelista dos Santos, outro privilegiado com a nomeação para fingir que atuam com autonomia no processo municipal de promoção da igualdade e étnica é Décio Clemente Couto ex-presidente do Sindicado da Policia Civil do Estado de São Paulo.

A forma de atuação do Governo João Paulo Tavares Papa para impedir o Exercício da Cidadania da Comunidade Negra e Comunidade do Samba prejudicando os Direitos Humanos e prejudicando a Humanidade, que a Organização Mundial da Saúde OMS, considera pratica da violência.

Os privilegiados com a influência acreditam que são moralmente superiores a Representação do Negro e Sambista, com essa crença se autorizam a praticar todo o tipo de coisas que ultrajariam as pessoas normais. Quem quer que se volte contra os privilegiados não é visto apenas como uma pessoa equivocada mas, como alguém que precisa ser desmoralizado aplicando atos que configuram através da violência, se tornando alimentadores da estatística do crime.

O fato responsabiliza também os Vereadores Valdir Nahora, Reinaldo Martins, Arlindo Barros e Geonísio Pereira, porque na Câmara Municipal de Santos comprometeram tratar dos assuntos Organização do Carnaval e Defesa da Cidadania, mas estão inoperantes para articulação política dentro da Câmara Municipal que forme força para interferir e enfrentar os privilegiados favorecidos pelo Governo Papa que usa como influência a OAB-Santos.

Conclusão, política pública do animal abandonado ganha consistência e a política das Crianças, Adolescentes, Jovens e Idosos da Comunidade Negra e Comunidade do Samba, ainda não é facultado pela Administração Municipal de Santos o desenvolvimento Físico, Mental, Moral, Espiritual e Social, em condições de liberdade.

Acontece que a III Conferência Mundial Contra o Racismo, Discriminação Racial Xenofobia e Intolerância Correlatas, que aconteceu em 2001 na cidade de Durban África do Sul, completou dez anos e o Estado Brasileiro esta cumprindo o compromisso internacional e tem como base a Lei Federal nº 12.288, Estatuto da Igualdade Racial que impõe autonomia aos segmentos organizados.

A consciência negra avançou em conexão íntima com a consciência social como um todo. Não se trata, portanto, da mera substituição de um segmento populacional dominante por outro, mas do reconhecimento de que os valores do pluralismo ajudam em muito a consolidar o processo democrático.

 O Governo Papa em termos de Comunidade Negra deve a Sociedade Santista uma relação de colaboração e não de colonização.

O reconhecimento por parte das lideranças da Comunidade Negra do Brasil sobre o novo procedimento para manter o racismo no país como o Governo Papa descaradamente esta impondo através da pratica da violência, para fazer frente esta sendo realizado de 16 a 19/nov em Salvador o Afro XXI – Encontro Ibero-americano do Ano Internacional dos Afrodescendentes, visa trazer à baila discussões estratégicas na construção de um contexto em que o respeito à diversidade e a afirmação do ser humano como um ser intelectual dotado de direitos independentemente de sua identidade étnica, religiosa ou territorial sejam realidades cotidianas e não letra morta.

O evento evidencia que no Brasil os esforços de combate ao racismo discriminação racial através dos próprios segmentos organizados da  Comunidade Negra é a realidade inédita que começa a entrar em pratica.

 

Comente

 

 

 

 
 

Home | Produção Cultura Negra | Legado | Projeto Quintino | Parceiros | Universidades e Guias | Blog do Luiz Otávio

Webmaster: Luiz Otávio de Brito

 

Início do Site 21 de março de 2000, Dia Internacional para a Eliminação da Discriminação Racial

 

Direitos da Produção de Cultura Negra, protegidos pela Lei Federal Nº 5.761 de 27 de abril de 2006 a qual trata do Programa Nacional da Cultura e Lei Federal Nº 9.610 de 19 de fevereiro de 1998 a qual trata dos Direitos Autorais no Brasil.