Jorge Fernandes - Igualdade Racial

Enfrentamento ao Racismo Institucional


Home
Produção Cultura Negra
Legado
Projeto Quintino
Parceiros
Universidades e Guias
Blog do Luiz Otávio

COMUNICADO

Produção de Cultura Negra comunica que o Jorge Fernandes (Lord Comunicação), foi nomeado pelo prefeito Paulo Alexandre Barbosa para exercer o cargo Municipal de Coordenador da Promoção da Igualdade e Étnica.

 

A Coordenadoria da Promoção da Igualdade e Étnica é função ligada a Secretaria Municipal de Defesa da Cidadania que tem como atribuição o desenvolvimento dos seguinte compromissos.

 

Auxiliar o Prefeito no cumprimento do programa de metas estabelecido no Plano Plurianual de governo para a área de Cidadania, especialmente: elaborar planos, programas e projetos voltados à promoção dos direitos da cidadania, da criança, do adolescente, do idoso, da mulher e das pessoas com deficiência, formular a Política Municipal de Direitos Humanos, em conformidade com as diretrizes do Programa Nacional de Direitos Humanos - PNDH, articulando iniciativas e projetos voltados à proteção e promoção dos direitos humanos, promovendo a igualdade racial e a proteção dos direitos de indivíduos e grupos raciais e étnicos, afetados por discriminação racial e demais formas de intolerância, coordenar os serviços de assistência judiciária gratuita aos necessitados, na forma da lei e de orientação jurídica ao cidadão, coordenar o Centro de Informação, Defesa e Orientação ao Consumidor, implementando políticas públicas que favoreçam o consumo sustentável e executar outras tarefas que lhe forem atribuídas pelo Prefeito.

 

Parabenizamos o prefeito pela nomeação e a expectativa fica no sentido de que a Administração Municipal passe atender as demandas que tem como objetivo estabelecer a cidadania da Comunidade Negra e Comunidade do Samba de Santos.

 

A Produção de Cultura Negra registra também os parabéns ao Jorge Fernandes neste inicio de sua nova etapa na vida política do município de Santos.

Em 26 de janeiro de 2013 17:45, Diva Kodama - escreveu:

Prezado Luiz Otávio,

Boa tarde!

Tudo bem, como tem passado? Meus parabéns para o Sr. Jorge Fernandes e que ele tenha sucesso junto ao cargo Municipal de Coordenador da Promoção da Igualdade e Étnica.

Acabei de voltar do cinema, fui assistir  Lincoln, um filme excelente, que você não pode deixar de assistir. A interpretação do ator Daniel Day-Lewis foi perfeita. O ator estudou seu personagem por um ano e, em cena, reproduz cada detalhe: o jeito pesado e desajeitado de andar, a voz marcante e o modo entusiasmado de contar histórias, muitas vezes engraçadas, para reforçar um ponto de vista.

Pesquisa do Google: O roteiro, se concentra nos quatro últimos meses de vida do ex-presidente, entre janeiro e abril de 1865. Lincoln, em segundo mandato, liderava um país dividido pela Guerra Civil, que já ultrapassava quatro anos e tinha saldo de cerca de 600 mil mortos. Com a situação se tornando cada vez mais favorável para a União, a guerra parecia perto do fim. Mas Lincoln ainda tinha com o que se preocupar: quando o conflito acabasse, a Justiça poderia revogar a proclamação de liberdade aos escravos concedida por ele usando poderes de guerra, sem que uma proposta tivesse sido enviada ao Congresso. Para o presidente, a única forma de evitar que isso acontecesse era aprovar uma emenda constitucional que abolisse a escravidão em todo o país. Em 22 de Setembro de 1862 publicou a proclamação que concedia a liberdade aos escravos dos estados confederados. Aos olhos das outras nações, a libertação deu um novo sentido à guerra e abriu caminho para a abolição da escravatura em todo o país, em 1865. Em 1864, as vitórias dos nortistas possibilitaram a reeleição de Lincoln, cujo novo mandato teve início no ano seguinte.

A tarefa não era fácil. De um lado, os membros da ala radical do Partido Republicano, ao qual Lincoln pertencia, queriam adiar a votação para um momento em que a aprovação fosse mais provável. De outro, os conservadores priorizavam as negociações para o fim da Guerra Civil, e não da escravidão. Para complicar, o presidente ainda precisaria contar com o apoio de alguns congressistas do Partido Democrata, seu rival, para obter o mínimo de votos necessários.

Lincoln dá início, então, a um complexo processo de negociações para unir grupos diferentes, o que inclui pressões, concessões e ofertas de cargos, num retrato de um modo de fazer política muito parecido com o de hoje - a despeito de todas as mudanças que ocorreram no mundo e nos EUA desde então, a ponto de o 44º e atual presidente americano, Barack Obama, ser negro, depois de 148 anos. Abrahan Lincoln  foi 16º presidente dos EUA.

Em 14 de abril de 1865, o Presidente Abrahan Lincoln e a primeira-dama foram assistir uma peça no Teatro Ford, onde ele foi assassinado.

Um forte abraço,

Diva Kodama

"Sem malícia contra ninguém; com caridade para com todos; com firmeza no correto, que Deus nos permita ver o certo, nos permita lutar para concluirmos o trabalho que começamos; para fechar as feridas da nação..." (Abrahan Lincoln)

 

DIVA KODAMA RECEBE HOMENAGEM NA CÂMARA

 

A ex-inspetora geral da Alfândega de Santos, Diva Kodama, foi homenageada na noite de quarta-feira, na Câmara, como símbolo do trabalho bem sucedido da mulher, em várias áreas de atuação.

 

Kodama foi a oradora oficial da sessão solene, presidida pelo vereador Geraldo Guedes, em que foram também homenageadas pelos demais vereadores mulheres que se destacaram no Município.

 

‘‘Esta homenagem me dá a certeza de que trilhei o caminho certo. É, acima de tudo, um estímulo vital para a superação dos desafios futuros, e o incentivo necessário à constante renovação dos objetivos a serem perseguidos, na incessante busca e no aprimoramento do trabalho voltado as causas sociais,’’ disse Diva Kodama.

 

PUBLICADO NO JORNAL A TRIBUNA DE 10 DE MARÇO DE 2006.

 

GERÊNCIA REGIONAL DE ADMINISTRAÇÃO EM SÃO PAULO

PORTARIA No- 484, DE 21 DE OUTUBRO DE 2008 DOU 24/10/08

 

O GERENTE REGIONAL DE ADMINISTRAÇÃO DO MINISTÉRIO DA FAZENDA NO ESTADO DE SÃO PAULO, no uso das atribuições que lhe foram conferidas pelo artigo 71, item XVIII da Portaria nº 290 de 30/09/2004, publicada no Diário Oficial da União de 04/10/2004 e artigo 2º da Portaria SRF nº 1671 de 16/06/2005 publicada no Diário Oficial da União de 20/06/2005 e tendo em vista o que consta no Processo nº 10761.000013/2008-96, resolve

 

Conceder aposentadoria voluntária a servidora DIVA ALVES KODAMA, matrícula SIAPECAD 23456, SIAPE 97547, ocupante do cargo de Auditor Fiscal da Receita Federal do Brasil, classe S, Padrão IV, do Quadro de Pessoal do Ministério da Fazenda, com fundamento no Artigo 8º, § 1º, Inciso I, alíneas “a” e “b” e Inciso II da Emenda Constitucional nº 20/98, Art. 7º da Lei 9.527/97 e Art. 62-A da Lei 8.112/90, com proventos proporcionais

EDSON CARLOS ODA DOS SANTOS

-------------------------------------------------

Direito Aduaneiro e Comércio Exterior – BLOG
E-mail:
chebabi@gmail.com
Skype: rzchebabi

 

COMENTÁRIO

      http://0.gravatar.com/avatar/41dc3e007986c35dc46763689fa93174?s=40&d=&r=G

 André de Azevedo Palmeira

 

22/11/2008 às 16:26

 

Realmente uma pessoa extraordinária e profissional admirável, será sem dúvida uma perda irreparável, não apenas para a Receita Federal, mas para todo o País, já que seu notável trabalho protegia a economia nacional. Incansável, ajudou a trazer a Aduana brasileira para o século XXI É uma pena que o nosso governo não se esforce para manter em seus quadros o que há de melhor, privilegiando interesses políticos em prejuízo da excelência técnica.

ANDRÉ PALMEIRA

A CADA DIA  E SOB TODOS OS PONTOS DE VISTA VAMOS CADA VEZ MELHOR

Comente

 

 

 

Home | Produção Cultura Negra | Legado | Projeto Quintino | Parceiros | Universidades e Guias | Blog do Luiz Otávio

Webmaster: Luiz Otávio de Brito

 

Início do Site 21 de março de 2000, Dia Internacional para a Eliminação da Discriminação Racial

 

Direitos da Produção de Cultura Negra, protegidos pela Lei Federal Nº 5.761 de 27 de abril de 2006 a qual trata do Programa Nacional da Cultura e Lei Federal Nº 9.610 de 19 de fevereiro de 1998 a qual trata dos Direitos Autorais no Brasil.