Dia da Mulher Latino Americano

Enfrentamento ao Racismo Institucional


Home
Produção Cultura Negra
Legado
Projeto Quintino
Parceiros
Universidades e Guias
Blog do Luiz Otávio

Considerando o título desta mensagem é porque a data de hoje esta sendo comemorado o V Dia da Mulher Negra, Latino-Americana e Caribenha,  data criada em 25 de julho de 1992, durante o I Encontro de Mulheres Afro-Latino-Americanas e Afro-Caribenhas, em Santo Domingo, República Dominicana, quando estipulou-se que este dia seria o marco internacional da luta e da resistência da mulher negra. Desde então, sociedade civil e governo têm atuado para consolidar e dar visibilidade a esta data, tendo em conta as condições de opressão de gênero e étnico-raciais em que vivem estas mulheres e Comunidade Negra e Comunidade do Samba da Metrópole Santista a mais organizada do país, não poderia faltar com esta presença.

Se verificado a Comunidade Negra e Comunidade do Samba de Santos, as condições de opressão de gênero e étnico-raciais em que vivemos Homens e Mulheres, não acontece diferente, de forma total, as mulheres negras além de esquecidas, na participação pública, ainda sobrevive a opressão aplicada pelo Executivo Municipal que nas realizações das comemorações os tratam como não pertencentes a vida coletiva, ou seja, ainda ignoram a representação da Comunidade Negra da Metrópole Santista para servirem privilegiados.

Atuar contra manutenção de privilégios exclusivos para grupos com poder de governar é promover a educação, orientação incentivada pelo Ministério da Educação, que através do Conselho Nacional da Educação institucionalizou a forma que a sociedade deve atuar conforme Parecer CNE/CP Nº 003/2004.

O V Dia da Mulher Negra, Latino-Americana e Caribenha, neste ano 2012 o tema  é Juventude Negra, a escolha do tema vem da necessidade de refletir os desafios enfrentados por esta parcela vulnerabilizada da sociedade que, infelizmente, constitui a principal vítima da violência urbana.

No Brasil a juventude negra encabeça o ranking dos que vivem em famílias consideradas pobres e recebem os salários mais baixos do mercado.

Encabeçam, também, a lista dos desempregados, analfabetos, dos que abandonam a escola antes de tempo e dos que têm maior defasagem escolar.

Podemos dizer que a Comunidade Negra e Comunidade do Samba da Metrópole Santista é composta por analfabetos?

Podemos dizer que a Comunidade Negra e Comunidade do Samba da Metrópole Santista abandonou a escola antes do tempo?

Jamais poderemos afirmar esta situação, mas poderemos afirmar que Santos tem instituído a Secretaria Municipal de Defesa da Cidadania, a qual tem o compromisso de absolver os programas e projetos voltados  à promoção dos direitos da cidadania, da Crianças, dos Adolescente, dos Jovens e dos Idosos, Homens, Mulheres e das pessoas com deficiência, na formulação das políticas municipal voltadas para os direitos Humanos, como também, promover a igualdade racial e a proteção dos direitos de indivíduos e grupos raciais e étnicos, afetados por discriminação racial e demais formar de intolerância, e completar que em relação a condução da Evolução Humana a Representação da Comunidade Negra e Comunidade do Samba de Santos, a Administração Municipal ainda se encontra atrasada e enrascada com a era colonialista, tratando as comunidades como analfabetos que nunca frequentaram a escola.

Conclusão nossos espaço estão sendo ocupados por privilegiados que recebendo altos salários não estão trazendo beneficio nenhum para a sociedade, procedimento que visa atender interesse mesquinho que esta impedindo a Evolução Humana, procedimento que é considerado condenável pela sociedade o que oferece a Produção da Cultura Negra colaborar para eliminar com o mau, sempre afirmando ninguém fará pela Comunidade Negra e pela Comunidade do Samba da Metrópole Santista se nós Negros e Sambistas não fizermos para nós.

 

 

 

Home | Produção Cultura Negra | Legado | Projeto Quintino | Parceiros | Universidades e Guias | Blog do Luiz Otávio

Webmaster: Luiz Otávio de Brito

 

Início do Site 21 de março de 2000, Dia Internacional para a Eliminação da Discriminação Racial

 

Direitos da Produção de Cultura Negra, protegidos pela Lei Federal Nº 5.761 de 27 de abril de 2006 a qual trata do Programa Nacional da Cultura e Lei Federal Nº 9.610 de 19 de fevereiro de 1998 a qual trata dos Direitos Autorais no Brasil.