Combate a corrupção no Judiciário

Enfrentamento ao Racismo Institucional


Home
Produção Cultura Negra
Legado
Projeto Quintino
Parceiros
Universidades e Guias
Blog do Luiz Otávio

Combate a Corrupção no Judiciário
 

Não resta dúvida que falta rigor no combate a corrupção no Judiciário, afirmação do Conselho Nacional de Justiça através da Corregedora Ministra Eliana Calmon, se não tivermos dentro do Judiciário juízes que assegure Justiça consequentemente não haverá político que respeite os direitos da população porque estão desacreditados pela população e o que se verifica é pessoas com pretensão de se eleger para fazer parte do bolo.

 

A paz é uma ânsia da sociedade, não haverá voto facultativo e nenhuma outra solução que resolva, ou mesmo traga a paz para a sociedade sem que antes mude a cultura do individual sobre o coletivo, a população esta resignada com o que vive, estamos diante de tantas noticias ruins de tantas desgraça, com droga, violência e provocadas pelo homem, precisamos que prevaleça a Justiça em todos os níveis da sociedade, que atuação é de exclusividade do Judiciário com o Ministério Público e Advogados, que no caso os causídicos não cumprindo com institucionalizado, como também, a Defensoria Pública que possui todos os poderes do Estado para defender a população, o funcionário público, tem que começar a ser responsabilizado pela inoperância porque somos, sim, humanos em essência e, mesmo cheio de defeitos capazes de amar acima de tudo.

 

Repensar a cultura do individual sobre o coletivo, ser solidário na vida cotidiana, buscando a harmonia, a tolerância e, principalmente a cidadania é o primordial e somente com um Judiciário que é composto pelas três categorias Juiz, Promotor e Advogado passando a prestas serviços de qualidade comprovado pelo Conselho Nacional de Justiça e pela sociedade.

 

O Ministério Público em Santos em termos de direito da população Negra por ser inoperante gerou pandemônio para favorecer advogado e pessoas que na verdade, atuam como fora da lei porque aplicam litígio de má-fé para prevalecer o esbulho do direito PÚBLICO e PRIVADO da Comunidade Negra e são favorecidos pela Ordem dos Advogados do Brasil Seção Santos.

 

Nada adianta ter o Conselho Tutelar se em termos de Cultura Negra a Comunidade Negra, se coloca incapaz para atuar em defesa que assegure a justiça em relação a facultar o desenvolvimento Físico, Mental, Moral, Espiritual e Social, das Crianças, Adolescentes, Jovens e Idosos, Homens e Mulheres da Comunidade Negra em condições de liberdade.

 

É injustiça a Ordem dos Advogados do Brasil seção Santos continuar com a tutela do direito PÚBLICO e PRIVADO da Comunidade Negra porque foi imposta através do abuso do poder e o Ministério Público jamais pode continuar inoperante diante deste tipo de crime porque iguala ao cidadão e a sociedade ser sequestrada, assaltada e vilipendiada de sua dignidade de sua honra e moral.

 

Clique na figura e conheça a manifestação do CNJ.

A CADA DIA  E SOB TODOS OS PONTOS DE VISTA VAMOS CADA VEZ MELHOR 

 

Home | Produção Cultura Negra | Legado | Projeto Quintino | Parceiros | Universidades e Guias | Blog do Luiz Otávio

Webmaster: Luiz Otávio de Brito

 

Início do Site 21 de março de 2000, Dia Internacional para a Eliminação da Discriminação Racial

 

Direitos da Produção de Cultura Negra, protegidos pela Lei Federal Nº 5.761 de 27 de abril de 2006 a qual trata do Programa Nacional da Cultura e Lei Federal Nº 9.610 de 19 de fevereiro de 1998 a qual trata dos Direitos Autorais no Brasil.